Dinamarca

Dar à luz na Dinamarca – parte 2

18 de August de 2015
SOCIALICON
SOCIALICON
SOCIALICON
SOCIALICON

Agora vou falar um pouco sobre o momento mais esperado… O nascimento.

Quando você começa a perceber que é agora que o seu filho vai nascer, você precisa contar seus intervalos junto com as dores que está sentindo. Você pode também, já ir ligando para o hospital escolhido para o nascimento do bebê.

Lá, eles vão te perguntar sobres os intervalos, sobres as dores, vão te avisar se você já pode ir para o hospital ou eles recomendam esperar um mais pouco em casa – eles também falam que se você preferir ir até lá em caso de insegurança, você está muito bem vinda. Comigo eles foram muito atenciosos e me falavam sempre que se eu me sentisse melhor indo lá para ser examinada, eu podia ir sem problemas. Eles fazem de tudo para que você se sinta relaxada, confiante e segura.
Se você escolhe ficar em casa, é preciso que você ligue para o hospital de novo para avisar que está indo – não tem problema se você chegar lá às pressas, sem ligar porque não deu tempo, mas eles recomendam ligar primeiro.
Chegando no hospital, você terá que ir para a área da maternidade – de cadeira de rodas ou não… Mas sempre tem alguém por perto para ajudar e sempre tem cadeiras de rodas nas portas do hospital.
Chegando na maternidade, você terá que apertar um botão para que as parteiras/enfermeiras/medicas te atendam ou você terá que, simplesmente, chamar alguém de lá (depende de que hospital que você está – mas geralmente não é difícil conseguir ajuda).
Quando você for atendida, não costuma demorar, você irá para um quartinho ser examinada. Eles te fazem o toque para saber com quantos cm está de dilatação, contam suas contrações e a intensidade delas com um aparelho, etc.

Até você entrar em trabalho de parto ativo, será oferecido um monte de ajudinha para amenizar as dores. Tem acupuntura, morfina, coquetel de pílulas, o toque na membrana para estimular as contrações, massagem do marido (essa é boa! Rs), etc. Também será oferecido uma lavagem para “esvaziar” o seu intestino.
Quando você entrar em trabalho de parto ativo, com mínimo de 4 cm de dilatação, você é mandado para um outro quarto. O quarto onde terá o seu filho. Lá, você ganha uma parteira (ou mais que uma) só para você.

Esses quartos são grandes, tem espaço suficiente para o seu companheiro, mas não tem cama extra. Tem apenas um sofá, ou uma poltrona. Então se você ficar muito tempo lá para ter seu bebê, pode ser cansativo para quem tiver com você.

É uma boa ideia levar snacks, bebida, jornal, iPad… Enfim, coisinhas para se distrair. Na maioria das vezes o seu companheiro não vai ter muito tempo para tudo isso, mas se você tomar anestesia você, provavelmente, irá dormir depois de tanto cansaço… É o momento em que tudo fica mais tranquilo.

No hospital, te dão água e suco, mas é sempre bom ter uns extras em caso que… É bom ter! Rs

Nesses quartos sempre tem uma banheira em caso você queira relaxar – você só não pode escolher ter a anestesia e ficar na banheira por conta da perda do equilíbrio.
Sempre tem também, uma bola de ginástica, um “fat boy”, às vezes rádio com musicas relaxantes, etc.

Você tem direito de ter quantos acompanhantes você quiser, mas vamos ter um bom senso e saber que levar todas as suas amigas e familiares, tirando o seu companheiro que já vai está ali com você, é demais né?!

Quando você começar a sentir a pressão para ter seu filho, a parteira irá fazer de tudo para te ajudar. Ela recomenda você ir no banheiro fazer xixi (no quarto tem um banheiro para você) ou coloca um cateter em você.
Quando você estiver sentindo o bebê sair, começa o que eu digo de “Adrenalin Shock”. Não só você vai está assim, mas a parteira vai está também, e seu companheiro então… Rs
A parteira vai fazer do que ela pode para fazer tudo ocorrer bem. Ela vai te ajudar com as respirações, vai te informar de cada coisinha que vai está acontecendo, vai te motivar com palavras de incentivo, vai pedir para você empurrar! E empurrar!
UFA! Lembrei dos meus partos!! Intenso gente… Mas muito lindo! 🙂

Quando a sua fofura nascer, a parteira irá colocar ele diretamente nos seus braços, peito. Esse primeiro contato é o mais importante e o mais lindo.
Ali mesmo, ela vai pedir para o pai cortar o cordão do bebê (se ele quiser), ela vai tirar a sua placenta, te examinar, ai ela tira o bebê de você para poder examiná-lo por completo – até agora ela só tinha visto que ele é saudável.

Depois de medir, pesar, preencher o formulário do bebê, ela devolve-o para vc ou para o pai. Ela traz uma mesinha com uma bandeira dinamarquesa (bandeira no país é sinônimo de comemoração), com suco e pão para comemorar o primeiro aniversário do bebê – tem vezes que eles cantam até parabéns! Tão fofo.
Faz parte do “ritual” fazer xixi depois de dar à luz. É o momento em que você levanta da cama pela primeira vez e é importante para ver se você terá alguma complicação ou não.
Depois dali, você e sua nova família vão para casa (se preferirem), ou para o hotel do hospital ou simplesmente para um quarto do hospital (se não tiver hotel no seu hospital). Ali, vocês podem ficar até 2 dias e irem para casa depois.

Bom, eu acho que contei das coisas mais importantes que pode acontecer num parto aqui na Dinamarca. Lembrando que cada caso é um caso, e eu falo daquilo que eu experenciei com os meus dois partos e com histórias de mamães que tiveram filhos aqui. 🙂

Beijinhos!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *